domingo, 19 de setembro de 2010

DUAS CARAS

Como observo... e quanto mais observo mais me decepciono...
Como as caras das pessoas podem se transvestir e se tornarem
de uma hora para outra de vítimas para carrascos?
Minha decepção nada mais é do que meu próprio julgamento errôneo,tomando pessoas em duas simples alternativas...certo e errado,bom e mal, sem levar em conta que os caraters diferem de pessoas para pessoas, e... o que pode ser errado pra mim pode não ser pra elas!
Confiar se torna uma coisa complicada,levando em consideração que tudo muda a cada minuto e assim também as atitudes alheias são mutáveis.

Confiança..o que seria confiança?
Apenas a maneira que as pessoas repetem seus atos por longos dias, os
tornando corriqueiros, seus pensamentos, seus ideais?
Seria uma mesmisse de atitudes para determidadas situações?
Ainda prefiro pensar que não!
Quero reconhecer que exista uma mesmisse de cultura do espírito, que se apega a qualidades e sobrevive com um carater inabalável,onde a primeira impressão é a que é a verdadeira.

(Ci)